Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Diocese de Amparo
 

PESQUISAR

Digite a palavra ou frase de seu interesse:

ACERVO

DESTAQUES

FOTOS EM DESTAQUE

 
Palavra do Padre Jose - Julho:

PALAVRA DO PADRE JOSÉ SIQUEIRA BARBOSA, PÁROCO
A IDEOLOGIA DO ABSURDO
Estimados irmãos e irmãs na fé em nome de Jesus Cristo. Observe com atenção! A humanidade sofre transformação ideológica extremamente violenta. A ideologia do terrorismo, da desconstrução do ser humano, desconstrução das estruturas bases de formação (família, escolas, creches, igrejas...). Assim, a ideologia da banalização da vida humana é muito forte, persistente e terrorista. É um absurdo!
A família é a base da sociedade, porque oferece elementos fundamentais para a formação de homens e mulheres capazes de praticar o bem comum. A família é berço de sabedoria e de formação do ser humano. A família é espaço sagrado porque foi instituída por Deus ao gerar o ser humano a sua Imagem e semelhança, ou seja, imagem de amor, justiça e perfeição (cf. Gn 1,26-27). “A família é célula da sociedade e pequeno santuário da vida, o lugar onde se constrói a civilização do amor e da justiça”. (Dom Bruno Gamberini).
“Na verdade, enquanto comunidade educativa, a família deve ajudar o homem a discernir a própria vocação e a assumir o empenho necessário para uma maior justiça, formando-o desde o início, para relações interpessoais, ricas de justiça e de amor”. (Papa J. Paulo II, Familiaris Consortio, Introdução).
As famílias precisam rever suas origens, seus valores cristãos para iluminar os valores sociais, culturais e políticos. Temos que perseverar na fé, adquirir conhecimentos científicos e lutar contra essas falsas verdades carregadas de interesses que visam apenas o lucro, a fama e o poder opressor. Temos que aprender a dizer NÃO aos que amam a morte aprovando o aborto, as drogas, a corrupção, a desconstrução humana, inclusive a absurda “ideologia de gênero”.

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR SOBRE A "IDEOLOGIA DE GÊNERO"?
A "ideologia de gênero" afirma que ninguém NASCE homem ou mulher, mas deve CONSTRUIR sua própria identidade, isto é, o seu gênero, ao longo da vida. Para quem defende esta ideologia é como se não nascesse homem ou mulher, mas cada um deve inventar sua própria personalidade como quiser.
Desde 2012, foram mais de 15 "Projetos de Lei" apresentados no Congresso Nacional tentando introduzir o termo "gênero" no Plano Nacional de Educação. Até agora não conseguiram! Mas o Governo Federal não desiste.
Em 2014, o Congresso Nacional RETIROU do Plano Nacional de Educação todas as menções a "ideologia de gênero". Contudo, neste ano de 2015, o ATUAL GOVERNO, divulgou o documento final da 2ª Conferência Nacional de Educação, pelo qual o Ministério da Educação simplesmente IGNORA as determinações do Congresso e reescreve as diretrizes da educação brasileira, segundo a redação que havia sido rejeitada pelos parlamentares, como meta obrigatória para todos os Municípios do Brasil.
Por causa disso, os Estados e Municípios do Brasil, SÃO OBRIGADOS pela Lei 13.005, de 25 de junho de 2014, a apresentarem seus "Planos Estaduais" e seus "Planos Municipais de Educação". Nestes Planos, estão incluídos, novamente, a "Ideologia de Gênero". Assim, nas Assembléias e Câmaras de Vereadores dos Estados e Municípios, os Deputados e Vereadores TERÃO DE APROVAR ESTES PLANOS.
No Plano Municipal de Educação de Jundiaí-SP, já pronto para votação, consta em vários artigos o conceito de "gênero". O que acontecerá, caso nossos Vereadores aprovem a

"ideologia de gênero"? ACONTECERÁ QUE TODAS AS NOSSAS CRIANÇAS DEVERÃO APRENDER QUE NÃO SÃO MENINOS E MENINAS, E QUE PRECISAM INVENTAR UM GÊNERO PARA SI MESMAS.
Para isso, receberão materiais didáticos destinados a deformarem sua identidade. E isso seria obrigado por Lei e, os pais que se opuserem, poderão ser criminalizados por isso.
O QUE FAZER ENTÃO: Procure os Vereadores, pessoalmente ou por E-mail, e conversar sobre o assunto e pedir que eles proponham emendas que RETIREM tais referências ao conceito "gênero", suprimindo o artigo em que ela se encontra ou modificando o texto. O importante é que o conceito "gênero", "identidade de gênero", "discriminação de gênero", "igualdade de gênero", "orientação sexual", "transgênero" não seja introduzido em nossa Legislação Educacional.
Um exemplo - Propõe o Plano: "implementar políticas públicas que tenham por objetivo erradicar a discriminação de raça, religião, etnia, gênero, orientação sexual".
Poderiam alterar para: "implementar políticas públicas que tenham por objetivo erradicar todas as formas de discriminação".
Faça a sua parte! O mais rápido possível procure ou envie um E-mail para os Vereadores e deputados estaduais de nossa cidade e os informe do risco da "ideologia de gênero" para as nossas gerações futuras, caso contrário, todas as Escolas de ensino público e privado, terão de adotar a "ideologia de gênero" nos seus conteúdos e na sua estrutura (como por exemplo: “Não ter mais banheiro masculino e feminino"). Educação escolar sem "Ideologia de gênero". Compartilhem e procurem os Vereadores!

Fonte: Frente Parlamentar em Defesa da Vida e da Família da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.
 
Comentários: Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário!
Imprimir
 
 
 

CADASTRAR-SE

Cadastre seu e-mail para receber atualizações do nosso site:

NOTÍCIAS

DESTAQUES

VÍDEO EM DESTAQUE