Paróquia Sagrado Coração de Jesus - Diocese de Amparo
 

PESQUISAR

Digite a palavra ou frase de seu interesse:

ACERVO

DESTAQUES

FOTOS EM DESTAQUE

 
DEUS CHAMA PARA A MISSÃO SACERDOTAL:
A palavra Vocação provém do latim Vocare e significa chamado, convite feito por Deus de modo individual a cada um de nós, para estarmos a serviço da vida através da Igreja. Não porque, os chamados são melhores ou mais capacitados. Não! Mas porque, Deus em sua infinita misericórdia, chama a cada um segundo seus desígnios e os envia para serem testemunhas do seu amor no mundo inteiro, (Jo 15, 12-17). Ser vocacionado é desejar ser seduzido e deixar-se seduzir pelo Cristo Razão de nossa vida. Dar nosso sim ao chamado de Deus é permitir que O mesmo nos modele segundo a sua vontade para sermos seus fiéis dispensadores dos mistérios de nossa fé, ajudando cada vez mais nossos irmãos e irmãs a dar sentido à vida a partir do Evangelho e do Mistério da Paixão, morte e Ressurreição de Jesus Cristo.
O que Deus quer de mim? Onde posso e devo servir minha comunidade? São perguntas que a primeira vista podemos logo responder, porém, é salutar que reflitamos um instante para percebermos o que Deus quer de nós, em nossa simplicidade e pobreza, mas, no desejo ardente de ser sal da terra e luz do mundo (Mt 5, 13.14) seguindo os passos de Cristo que não mediu esforços para fazer a vontade do Pai.
O Senhor Deus se vale de muitos meios para nos chamar, e a Sagrada Escritura está repleta de momentos especiais de encontro com Deus e de uma resposta generosa daqueles que foram chamados, basta olharmos para a visita do Anjo Gabriel à Maria (Lc 2, 26ss), o chamado do jovem Jeremias (Jr 1,4ss), o chamado de Moisés quando estava pastoreando o rebanho de seu sogro, é na sarça ardente, no silêncio do monte que Deus o chama e envia para libertar seu povo (Ex 3,1-22.4,1-17) e, assim, Deus continua chamando cada um de nós em nossos dias, basta estarmos vigilantes para ouvir a voz d’Ele nos convidando a entrar na sua barca; sair do isolamento de nossa realidade particular e ir às periferias de nossas realidades. Ouvir os apelos do Pai é recordar que pelo Batismo, somos todos chamados a sermos sinais do amor misericordioso de Deus para com o seu povo amado.
Deus confia aos seus escolhidos, Diáconos, Presbíteros, Bispos e Papa o serviço sacerdotal para servirem nos diversos serviços e ministérios, conduzindo seu povo aos caminhos de santidade. Sejamos ousados em dar nosso sim ao Reino de Deus, confiando na proteção de Maria Santíssima, Mãe da Providência, que nos auxilie na missão de levar a Palavra de fé e esperança, aliviando a cruz de muitas irmãs e irmãos sofredores. Por isso, clamemos a Deus que nos envie um Bispo para nos conduzir nos caminhos da fé.
O termo grego “Epískopos” (Bispo) é usado cinco vezes no NT. Em Atos 20, 28; Fl 1,1; 1 Tm 3, 2; Tito 1, 7; e 1Pd 2, 25. E indica a função de “supervisor”. Nos tempos antigos era usado para indicar os oficiais dos exércitos, bem como os “superintendentes” ou diretores dos trabalhadores, em qualquer projeto. Veio a ser palavra usada para indicar o trabalho da “administração eclesiástica”. Nas epístolas pastorais (1Timóteo, 2Timóteo, e Tito), encontramos o Apóstolo Paulo nomeando como Bispos das Igrejas Timóteo (1Tm 1, 3 ; 3,18) e Tito (Tt 1, 4-5), para que estes por sua vez possam nomear “Anciãos” (presbíteros), ministros (pastores), e diáconos para governar as igrejas. Assim, tanto Timóteo como Tito, é investido de autoridade pelo Apóstolo Paulo como um “Bispo Consagrador”, o qual tinha autoridade sobre um território ou distrito, e não simplesmente sobre uma Igreja local.



O Novo Testamento apresenta a hierarquia de autoridade: O Senhor Jesus Cristo, o Supremo Pastor e Apóstolo, Cabeça da Igreja (Cl 1,18), nomeia os Apóstolos, os Apóstolos por sua vez nomeiam os Bispos; Bispos nomeiam Anciãos (Presbíteros), Ministros ou Pastores e Diáconos. O Bispo é Nomeado pelo Apóstolo porque o Apóstolo é a maior autoridade na Igreja, é o maior, e o primeiro entre todos os dons do Ministério. Em 1Coríntios 12, 28 Paulo diz que Deus estabeleceu na Igreja “primeiramente os Apóstolos”. O Apóstolo é um Bispo–supervisor de toda a Igreja. É importante também observar que o Apóstolo nomeia os bispos entre os anciãos (presbíteros). O Apóstolo escolhe para ser nomeado a Bispo aqueles anciãos ou Ministros que são mais notáveis, mais capazes e experientes para serem “supervisores” da obra de Deus.
Paulo diz que o Bispo a ser nomeado não pode ser um presbítero (ancião) novato, ou seja, neófito, recém-convertido, pois o mesmo não é maturo suficiente, não é experiente e provado. Portanto, o Bispo a ser nomeado “Não pode ser recém-convertido, para que não se ensoberbeça e caia na mesma condenação que caiu o Diabo” (1Timóteo 3, 7).
 
Comentários: Seja o(a) primeiro(a) a deixar um comentário!
Imprimir
 
 
 

CADASTRAR-SE

Cadastre seu e-mail para receber atualizações do nosso site:

NOTÍCIAS

DESTAQUES

VÍDEO EM DESTAQUE